sábado, 3 de janeiro de 2009

Obrigado, 2008.



Eu nunca fui bom com resumos, porque eu costumo exagerar nos detalhes. O que acaba fazendo com que eles virem textos enormes, dignos de passagens da bíblia. Se bem que resumir tudo o que aconteceu comigo em 2008 é tecnicamente impossível. Porque foi nesse ano que eu descobri que viver por trás de uma projeção jamais me traria felicidade plena e amigos verdadeiros. Descobri também que eu não poderia fugir de quem eu sou, nem do que eu realmente desejo. Percebi que as melhores bençãos são concebidas perante sofrimento, e que sem dificuldade jamais aprenderíamos a como crescer com nossos erros e usar os problemas como uma forma de engrandecimento pessoal. Porque foram nesses exatos momentos de provação que eu consegui a ajuda das pessoas que hoje são as mais importantes da minha vida. Talvez seja complicado dividir 2008 em partes, porque tudo o que aconteceu faz parte de uma grande ponte, e se eu tirar alguma parte, ela não suportaria e acabaria caindo. É como se cada mínimo detalhe tivesse sido essencial pra cada fase e acontecimento da minha vida. Uma falha aqui contribuiu pra um grande êxito ali, assim como uma grande vitória lá, resultou num terrível fracasso acolá. Mas seguindo a linha do "errando que se aprende", essas derrotas e falhas me tornaram mais forte do que eu jamais fui. Eu nunca teria chegado onde eu cheguei se não fosse pelos meus amigos e pelos meus pequenos amores platônicos (que foram muitos durante o ano). Alguns deles fizeram muita diferença na minha concepção de amor, e desse jeito eu percebi que amar é ótimo, mas como nem tudo é perfeito, também causa dor. Eu vi vários exemplos de sofrimento durante esse ano que passou, e me senti muito fraco várias vezes por me sentir impotente em algumas situações. Queria poder ajudar os meus amigos de todos as maneiras possíveis, porque não há nada mais frustrante do que ver um amigo sofrer sem que você possa fazer nada de significativo, além de ficar ao lado dele e o apoiar incondicionalmente. Meu conto sobre "meu querido 2008" é sobre meus amigos. Meus grandes amigos. Sobre os meus amores. Sobre todas as pessoas que tiveram uma contribuição enorme para que eu me tornasse a pessoa que sou hoje. Forte, fraca, esperta, boba, inteligente, tapado, triste, feliz, apaixonada, tonta, irônica, inocente, sarcástica, independente, idiota, sincera e uma porrada de adjetivos mais. Talvez eu não tenha uma lista de metas pra 2009, talvez eu tenha. Mas no fundo, talvez eu não queira pensar no que fazer. Talvez eu queira fazer com que cada momento aconteça naturalmente e que as conseqüências sejam inesperadas, mas dentro do previsto. De alguma forma meu reveillon pode não ter sido tão agradável, mas os primeiros dias de 2009 foram incríveis. Como eu poderia esperar que o meu coração fosse bater tão forte de novo? Como eu poderia imaginar que eu sentiria como se estivesse flutuando só por ver alguém? Sentimentos confusos, misturados a excitação, nervosismo, animação, felicidade e paixão. Precipitado? Pode ser. Mas se eu não mergulhar nas oportunidades que aparecem, o que vai ser da minha vida? Não posso ficar esperando pela decisão das outras pessoas, quando é a minha vida e o meu futuro que estão no jogo. Então é o que eu tenho feito. Tenho me permitido viver a minha própria vida sem depender dos outros. Minha felicidade pode depender de alguém e eu não tenho problemas com isso. Se meu amor está depositado nela, serei feliz por saber disso. Ser correspondido? É só consequência. Uma ótima consequência. Por 2008? Sou grato por minha vida, pelo meu trabalho, pela minha família, pelos meus amigos, pelos meus inimigos e por todos que amei. Sou grato por ter aprendido a chorar, porque percebi que eu não sou fraco por isso. Sou forte por perceber minhas fraquezas e saber quando preciso de colo. Sou grato pelas minhas desilusões, porque todas elas me permitiram sonhar um pouco mais. Sou grato por tudo que Deus me tirou, porque ele substituiu por algo de valor equivalente. Posso ter sofrido a curto prazo, mas as recompensas superaram todas as minhas espectativas. Mas eu sou grato principalmente a todas as pessoas que passaram pela minha vida, sejam elas pessoas boas ou más. Pois todas contribuíram (direta ou indiretamente) para que eu tivesse o ano mais incrível da minha vida. Muito, muito obrigado à todos por me permitir ser quem sou sem precisar me esconder ou sentir vergonha das minhas ações.


d.
"He loves every freckle, every curve, every inch of my skin. Fulfilling me entirely, taking all of me in. He's real, he's honest, he's loving me for me."

Um comentário:

Rafa disse...

Sou grato por ter você como amigo. ♥